Desde o final dos anos 1980, desenvolve “esculturas mobiliárias”, expressão usada primeiramente pela crítica Ethel Leon e adotada pelo designer por sua precisão em descrever a produção que ele executa a partir de resíduos florestais e urbanos – árvores condenadas naturalmente, por ação das intempéries ou pela ação do homem.

 

 

As peças criadas pelo designer nascem de um diálogo criativo com a matéria-prima: tudo começa e termina na árvore.

 

 

Ela é a sua inspiração; suas formas, buracos, rachaduras, marcas de queimada e da ação do tempo provocam sua sensibilidade e o conduzem a um desenho cuidadosamente escolhido, uma intervenção mínima que gera peças únicas.

 

Since the late 1980s, develops “sculptural furniture”, term first used by criticism Ethel Leon and adopted by França for its accuracy in describing the production he runs by reusing forestal and urban debris – trees that became condemned by natural causes, inclement weather or by man. The pieces created by the designer come from a creative dialogue with the raw material: everything begins and ends in the tree. It is his inspiration; its forms, holes, cracks, burn and time marks moves his sensitivity and lead him to a carefully chosen design, a minimal intervention that generates unique pieces.

 

 

As peças criadas pelo designer nascem de um diálogo criativo com a matéria-prima: tudo começa e termina na árvore.

 

 

Ela é a sua inspiração; suas formas, buracos, rachaduras, marcas de queimada e da ação do tempo provocam sua sensibilidade e o conduzem a um desenho cuidadosamente escolhido, uma intervenção mínima que gera peças únicas.